Administração e organização de um empreendimento

Série de dois capítulos em que damos algumas diretrizes e conselhos na hora de começar um empreendimento.

Por Eugenia Bahit


Publicado em: 09/1/06
Valorize este artigo:
Ao iniciar um novo empreendimento, tudo pode parecer simples. A parte organizacional e administrativa parece algo obsoleto e desnecessário. Porém, se pensarmos no futuro, não haverá formas de fazer com que nosso empreendimento dê frutos se não se pensa em políticas de administração e organização inteligentes.

Neste artigo, tentarei explicar e propor possíveis soluções destinadas aos profissionais freelance da informática, baseadas em minha própria experiência e, porque nega-lo, nos cursos que tive que fazer para resolver o grande vazio organizacional com o qual me encontrei no melhor momento econômico daquele empreendimento unilateral que com o tempo, se converteu em uma pequena empresa.

1. Como organizar nosso empreendimento?

A base de todo empreendimento deve ser a organização. Organizar-se não é fácil e leva tempo. Mas sem esta organização, será impossível obter resultados ótimos. O pilar desta organização, é a elaboração de um plano de negócios.

O plano de negócios está intrinsecamente relacionado com a antecipação da tomada de decisões e a forma de realizar nosso projeto empreendedor. Basicamente consiste em fixar objetivos e estabelecer a forma de alcançá-los.

Muitas vezes, embora acreditamos ter muito claro o que é o que queremos e como consegui-lo, não é suficiente se não documentamos (estabelecer por escrito) aquilo que temos em mente.

1.1) Organização do Plano de Negócios

O objetivo do plano de negócios deverá ser estabelecer o caminho mais viável e a melhor forma de alcançar nossa meta. A forma de elabora-lo, pode ser organizada da seguinte forma:

Estabelecer um nome que identifique o empreendimento

Mercado o qual vai competir

Perfil de consumidor ou consumidores aos quais aponta (este item está intrinsecamente relacionado com o mercado no qual se vai competir)

Produtos/serviços que serão oferecidos

Análise da concorrência (deverá se estabelecer o grau de concorrência e as vantagens competitivas que poderão ser alcançadas)

Análise da rentabilidade estimada que pode ser alcançada (fazendo um parênteses importante neste item, há que ter um especial cuidado de não confundir "o que quero ganhar" com "o que realmente posso ganhar". Em grande parte, dependerá muito da situação econômica pessoal e do meio econômico do mercado. Não será o mesmo trabalhar no Brasil que nos EUA, ou na Austrália ou na França. Por isso, ao fazer uma análise da rentabilidade, nos vemos forçados a selecionar um novo mercado ou simplesmente, ter bem claro a diferença entre o que quero e o que posso para não levarmos desilusões ou nos frustrarmos no futuro).

1.2) Análise do planificado

Uma vez criado o plano de negócios, há que analisa-lo globalmente dentro do contexto para conseguir determinar:

A) Aspectos pessoais

A análise dos aspectos pessoais, é aquele que nos permitirá prever nossa atitude e aptidão frente a situações diversas. Basicamente, me refiro à:
  • Capacidade para afrontar o empreendimento

  • Capacidade para resolver situações difíceis e conflituosas

  • Capacidade para tomar decisões extremas
B) Aspectos comerciais

Analisar claramente qual será a rapidez com a qual poderá se expandir nossos empreendimento, e prever a política comercial que adotaremos quando algo não suceder como foi planejado. Para isso, haverá que estabelecer:
  • Que aspectos podem não sair como planejamos

  • Quais serão as conseqüências

  • Que medidas adotaremos neste para solucionar o conflito
C) Aspectos gerais do contexto

Aqui deverão ser analisados todos os aspectos que fazem do meio de trabalho, como são:

Questões legais

Há que estar coberto e informado em todos os aspectos legais. Conhecer quais são as leis que competem a nossa atividade e os direitos que defendem nossos consumidores. Sobretudo, há que se informar (dependendo de cada país) dos aspectos legais referidos ao pagamento de impostos: que opções tenho, quando inicia-las e como afronta-las.

Situações políticas e econômicas

Não estar alheio à situação política e econômica do lugar onde trabalharemos, nos permitirá evitar frustrações, inversões falidas, quebras, etc...

Aspectos culturais, demográficos e sociais

Estes aspectos nos permitirão conhecer melhor nossos consumidores, para empreender futuras campanhas publicitárias que somente serão realmente efetivas, se conhecemos a forma de pensar, agir, vestir, desfrutar, sofrer, etc.. de cada um dos usuários que consumirão nossa marca.





Comentários do artigo
Foram enviados 3 comentários ao artigo
3 comentários não revisados
0 comentários revisados

Usuários :    login / registro

Manuais relacionados
Categorias relacionadas
O autor

Home | Sobre nós | Copyright | Anuncie | Entrar em contato