O banner perfeito

Análise do uso de banners como ferramenta de comunicação. Conselhos para melhorá-los e mais documentação.

Por César Martín


Publicado em: 10/8/06
Valorize este artigo:
Resumo.
  1. O banner funciona. Se bem que como suporte de um modelo de negócio está questionado pelo ingresso que é capaz de gerar, como meio de comunicação é algo que se deve aproveitar.
  2. Neste artigo veremos pontos-chave na hora de desenhar nosso banner para conseguir uma comunicação efetiva. Não loop, sim animação, menor peso, maior.

1. O banner funciona.
Lembrança do banner:
    43% algo.
    57% nada.

Fonte: Site Usability
Um estudo do Site Usability faz referência à cegueira ao banner. O estudo mostra que os usuários não são tão cegos ao banner como parece e a impressão da mensagem é efetiva.

Desde o ponto de vista do anunciante, o banner pode funcionar. Cada vez mais a internet faz diminuir mais tempo à televisão (evidentemente mais que os jornais e revistas) e na internet se encontram nichos de mercado que no mundo real são difíceis de seguir.
Por outro lado, na internet temos a oportunidade de acessar a uma classe de população mais ampla do que um meio com limitações geográficas, temporais, etc.

Incluído o 27.5.2001: Os dados de Site Usability sobre a cegueira ao banner despertaram dúvidas por parte de alguns leitores pelo qual fizemos uma enquete própria para saber até que ponto este dado era certo. A enquete que fizemos deu que um 25% dos usuários lembram de algum banner de sua última sessão. Este dado dá poucas esperanças ao banner atual com o qual devemos pensar em ir mudando os banners. Outra idéia é ir fazendo as páginas que dependem de ingressos por publicidade mais "leves" para que o banner possa brilhar o máximo possível e capte a atenção do usuário.


2. Nem sempre deve levar a uma página.
O dado que se toma para medir a eficácia de um banner é o click through. Isto é correto, mas nem sempre é válido.

Os anúncios servem para oferecer informação, posicionar ou dar valor a uma marca e para despertar a necessidade de adquirir um determinado produto. O click through está a uma dimensão a mais destes dados já que oferece acesso instantâneo à aquisição deste produto.

O problema é que muitos produtos que se anunciam em banners não podem ser adquiridos diretamente. Um banner sobre a estréia de um filme pode oferecer informação sobre o dia da estréia de um filme e como opção o visitar a página. Neste exemplo, a efetividade do banner não se mede somente pelo click through. A impressão correta da mensagem é suficiente para justificar a inversão.

Este banner serve para comunicar a data de estréia do filme e como opção de link, convida-nos a ver os grupos de discussão.



3. Deve levar a uma página de interesse.
O link que contém o banner deve levar a uma página desenhada especificamente para este fim. Se o banner leva ao portal, o usuário pode se sentir confuso ou não encontrar aquilo que viu no banner.

Se o que estamos comunicando é a existência de nosso site, pode-se preparar uma pagina de boas vindas especial onde se explica o projeto, objetivos, etc.

No caso deste banner de Mixmail.com, apesar de nos convidar a nos inscrevermos em seus serviços, o banner nos leva à página inicial.



4. Banners avançados são interessantes, porém as pessoas não os usa porque não sabe se deve clicar ou usa-lo.
Estes banners que contém combos, campos de texto ou botões, onde o usuário pode realizar parte da transação antes de ver a página. O conceito está bem, mas o problema é que muita gente abusa deste tipo de banners, enganando o usuário fazendo parecer botões do sistema, etc.

Não são muito recomendáveis.

Exemplo de banner avançado que funciona.



Aqui temos dois exemplos de banners que tentam simular o de ser avançado.
banner de alerta tipo PC WINDOWS

este banner não oferece interatividade



5. O peso importa.
Em geral fazendo um bonito gif, o banner não deveria passar de 4kbs.

Isto é óbvio, mas há que lembra-lo. Faça seu banner ultra leve. O modelo google de banners em formato texto é o passo mais avançado neste campo. Talvez seja algo extremo, porém no mundo google funciona (acadêmico, profissional, usuários avançados). Pessoalmente creio que é outra dimensão da publicidade a qual muita gente não chega.

Este é o exemplo de banner que se pode encontrar em google.com
exemplo de banner só texto de google.com Imagem reduzida, este link permite vê-la em tamnho real.

Se bem que este modelo de publicidade é avançado demais, o que sem que há que destacar de google é a forma de comprar publicidade. Tudo em formato web bem simples.


6. Animação sim, mas procure observar a mensagem desde o primeiro.
Que o gif esteja animado é parte da "surpresa" que ajuda a atrair a mensagem. Procure fazer com que a animação aconteça em uma parte do banner enquanto o resto permanece estático oferecendo claramente a mensagem que você quer transmitir.

Pese a isto não se devem fazer loops e a mensagem deve ser observada no primeiro frame.

Os loops fazem com que a mensagem se distorça ao perder a identificação de "conclusão" e "início". Se as pessoas não sabem onde está o final, não vão entender qual é o sentido do banner com o qual parte da efetividade pode ser perdida.

Desde o primeiro frame deve ser observada a mensagem. Muitas vezes a parte superior da página está presente alguns segundos até que o usuário faz scroll ou muda de página. Não perca esses segundos contando uma história.

Aqui temos dois banners em que a animação que conduz à mensagem é muito longa.

banner de marca muito longa



Estes dois banners de Marca (jornal de esportes espanhol) falham em quase todos os pontos que vimos até agora. São um loop infinito, não prendem a mensagem, a duração é excessiva, etc.


7. Procure fazer com que a mensagem não seja somente o logo.
Ainda faltam alguns banners onde o frame (entende-se como fotograma) final é o logo da empresa anunciante. Isto é um erro. O frame final deve servir para oferecer toda a informação necessária para transmitir a mensagem. O incluir a url costuma ser parte desta mensagem.

O frame final pode ser impresso, enviado por e-mail e deve continuar transmitindo a mensagem com clareza.


8. O banner pode ser um suporte de modelo de negócio.
O que falha agora mesmo é o formato. Banners que não são retangulares e que não estão na parte superior da página.

A busca de formatos e técnicas que permitam criar uma melhor impressão da mensagem no usuário é um caminho a explorar. Também há que contar com a dimensão que a internet adiciona onde a mensagem pode ser seguida até a compra direta do produto.

Em um estudo de webreference foi visto como colocando o banner um terço mais abaixo do normal, o click through se incrementava um 77%.

Certamente banners gigantes com flash tipo CNET sejam um caminho a seguir. Permitem explorar internamente o banner, oferecem mais informação e não precisa abandonar a página que estamos com o qual podemos seguir com nossa tarefa.
O que tem de bom este banner é o conceito de "colocar um pedaço da minha na sua". O banner já não é um anúncio, e sim passa a ser um pedaço da minha web onde você pode completar uma ação sem abandonar o site no qual se encontra atualmente. Isto faz muito sentido se pensarmos na compra de produtos. Não precisa abandonar o site no qual aparece o anúncio, podemos comprar o produto diretamente sobre o anúncio.





Comentários do artigo
Foram enviados 5 comentários ao artigo
3 comentários não revisados
2 comentários revisados:
Pergunta
Por: gawk123
05/8/09
e como faço para fazer meu banner?
Banners em Flash
Por: tiagofd
26/1/11
Achei super legal o artigo adoro <a href="http://www.bannersemflash.com.br">Banners em Fkash</a>

Usuários :    login / registro

Manuais relacionados
Categorias relacionadas
O autor

Home | Sobre nós | Copyright | Anuncie | Entrar em contato