Aprendendo a usar Google Analytics

A ferramenta de Google que pode conseguir que as organizações prestem mais atenção às estatísticas e influam em suas decisiões.

Por Eduardo Manchón


Publicado em: 20/10/06
Valorize este artigo:
Sistema:
Multiplataforma
Idioma: Multilingue
Licença: Freeware
Web: http://www.google.com/analytics/

Até agora sempre tinha usado Awstats e embora tivesse muitas limitações, já tinha me acostumado com esta ferramenta de análise de estatísticas de servidor. Entretanto há alguns meses Ubaldo me comentou as bondades de Google Analytics e decidimos coloca-lo em Panoramio e Alzado. À princípio custei muito em adaptar-me, mas três meses mais tarde as vantagens de Google Analytics (GA) se fizeram evidentes:

Permite comparações e seguir tendências

Um número bruto não serve para nada se não se pode comparar com outro. Saber que em X período houveram X páginas vistas não lhe diz muito, mas é muito ou pouco? O site vai bem ou vai mal? Só quando você compara com as páginas vistas de um período equivalente no passado este número serve de algo. Isto dirá qualquer expert em análise de dados e é justo o que faz GA.

Com quase cada dado que dá, GA inclui por padrão a comparação com um dado anterior e a correspondente tendência (setinhas verde, sobe, ou vermelha, baixa). Isto ajuda a saber por alto a evolução do site. A comparação por padrão é de uma semana, mas pode ser configurado o período que nos interesse.

Os tradicionais programas de estatísticas deixam muito a desejar porque embora incluam todos os dados (inclusive mais dados que GA), as comparações devem ser de memória. Acontece que com o tempo, você costuma aprender os números que costuma ter, é um pouco primitivo, pouco confiável e não lhe dá uma visão clara da evolução do site.

O inconveniente de GA é o primeiro dia que se usa. Ao estar tão centrado em comparar dados e buscar tendências, necessita certo tempo para acumular os dados que dêem sentido a suas tabelas de dados. A primeira visão após incluir GA em um site costuma ser decepcionante, as comparações ficam frouxas por não haver dados históricos e não se compreende bem para que servem. Visto que GA não analisa os logs de servidor, e sim, que funciona a partir de um código que se inclui ao final de cada página, só pode ter dados desde o dia que o código foi incluído. Há que ter paciência e deixar rolar por algumas semanas pelo menos para poder entendê-lo.

Centrado provavelmente no mais relevante

Tradicionalmente os programas de estatísticas incluem muita informação que é pouco relevante: informação sobre hits, largura de banda, acessos de robôs, host, tipos de arquivo baixados, etc. Acrescentar informação não é grátis, tem um custo, a informação menos relevante tira visibilidade à informação mais relevante.

Certamente alguma desta informação pode ser útil para pessoas que trabalham em otimização de buscadores ou para os técnicos que se preocupam com o rendimento do servidor. Entretanto, este excesso de informação pouco interessante e complexa, acarreta que o resto de membros da organização e especialmente os responsáveis do site, acabem ignorando as estatísticas.

Em minha experiência os que tomam as decisões, apenas consultam as estatísticas mais pra lá das páginas vistas e o número de visitantes globais. Normalmente simplesmente não entendem as estatísticas, não são capazes de tirar conclusões e na minha opinião é por causa dos tradicionais programas de estatísticas. Ignorar as estatísticas supõe que os responsáveis tomem decisões sem ter em conta uma informação crucial e optar pela intuição ao invés dos dados quantitativos objetivos.

Ao invés de incluir toda a informação disponível de uma vez, GA se centrará somente no que você estima que provavelmente seja mais útil e relevante (fontes do tráfico, conteúdos mais vistos, rotas de cliques, conversões, etc.). Inclusive tem um resumo executivo e o resto de informação a segmentar segundo os objetivos (marketing, conteúdo, conversões, etc.) e em diferentes níveis de detalha. A informação se dosifica.

Ademais para não saturar com longas listas por padrão, só mostra os principais 5 dados de cada análise. Evidentemente sacrifica detalhes para dar uma visão rápida e clara do mais relevante para um website. Com este enfoque, àqueles que desfrutam olhando as estatísticas de seu site até o mínimo detalhe a cada dia para saber onde foi referenciado seu blog e de onde vieram 2 visitantes, GA não lhes satisfará.

Por outro lado a integração de Adwords con Google Analytics e a possibilidade de definir metas e averiguar conversões (de visitante a cliente, ou de registro a upload de fotos, por exemplo) são ferramentas incrivelmente úteis para melhorar a usabilidade do site e que certamente interessarão muito aos responsáveis do site e ao pessoal de marketing.

Conclusões

GA é especialmente útil para quem não quer perder muito tempo olhando estatísticas, e sim, quem quer rapidamente conhecer os números mais relevantes do site e conhecer tendências.

Aqueles que por diferentes razões até agora prestaram pouca atenção às estatísticas de seu website agora com GA podem tirar mais proveito e utilizar como ferramenta básica tanto para tomar decisões como em seu dia a dia.



Mais informações e downloads
http://www.google.com/analytics/

Outros programas





Comentários do artigo
Foi enviado 1 comentário ao artigo
1 comentário não revisado
0 comentários revisados

Usuários :    login / registro

Manuais relacionados
Categorias relacionadas
O autor

Home | Sobre nós | Copyright | Anuncie | Entrar em contato