Vender produtos ou serviços de outras pessoas

Você não só pode vender seus próprios serviços, como também pode aumentar seus focos de negócio através do outsourcing.

Por Miguel Angel Alvarez - Tradução de JML


Publicado em: 24/10/06
Valorize este artigo:
O outsourcing é um conceito muito amplo, baseado na sub-contratação de serviços a outros profissionais ou empresas, já seja porque não dominamos uma área concreta ou simplesmente porque desejamos delegar parte do nosso trabalho e reduzir nossa carga de trabalho. o conceito também inclui a sub-contratação de recursos ou infra-estruturas que necessitamos para nosso negócio, o que pode nos ajudar o financiamento e reportar benefícios econômicos. Apesar de ainda não conhecer detalhadamente todos os âmbitos onde se pode utilizar o outsourcing, a anterior pode ser uma descrição geral. De qualquer forma, neste artigo estamos falando de uma parte do outsourcing, que se trata simplesmente de aumentar o leque de serviços que oferecemos aos nossos clientes e nosso volume de negócio, através da sub-contratação com outras empresas especializadas.

O normal é que qualquer profissional esteja especializado em áreas delimitadas e que seja capaz de suportar uma carga de trabalho também limitada. Através da venda de produtos e serviços de outras pessoas é possível aumentar nosso volumem de negócio. Ao mesmo tempo que estamos oferecendo um serviço mais completo ao nossos clientes, porque abrangemos mais áreas que possam nos requerer, podemos atender a um maior número de requerimentos e portanto, aumentar nossa carteira de clientes e definitivamente, nossos ingressos.

Qual seria o processo de sub-contração

A idéia geral de subcontratar trabalho é simples de entender. Trata-se de ofertar um produto ou serviço que na verdade realizam outras pessoas, pode ser inclusive com a nossa ajuda ou de maneira totalmente autônoma. À princípio o cliente entrou em contato diretamente conosco e lhe atendemos comercialmente, chegando a um acordo para a prestação de serviços.

Podendo ou não afrontar esse projeto, tecnicamente ou em recursos humanos, na sub-contratação nós entramos em contato com outras empresas ou profissionais para que o realizem, ou então, formamos um grupo de trabalho entre estes. Então podemos agir de duas maneiras:

- Dar a imagem, no que se refere ao cliente, que nós somos os que estamos fazendo o projeto. Nesta possibilidade nós seremos os que mostramos a cara diante do cliente, sendo a cabeça visível. A desvantagem é que o cliente entende que nossa empresa é a que efetua todo o trabalho e não há que dar explicações de nada. A desvantagem é que, devemos assumir as responsabilidades em todo caso e responder pela equipe de trabalho passe o que passe, embora não sejamos diretamente nós os executores do trabalho.

- Passar o trabalho para a direção de outros profissionais. Neste caso, teríamos que explicar ao cliente que o projeto vai ser dirigido por outra pessoa, que será seu interlocutor a partir desse momento e durante toda o andamento do trabalho. A parte positiva é que será outra pessoa a que mostra a cara no processo, aliviando-nos de maior carga de trabalho, embora nós sempre teremos a última responsabilidade sobre o que ocorrer. A parte negativa é que o cliente pode se sentir um pouco confuso sobre quem está realmente trabalhando para ele. Ademais, como o diretor de trabalho levará as conversas a partir desse momento, o cliente acabará tendo mais confiança com ele e pode ocorrer que em sucessivos trabalhos ele acabe entrando em contato diretamente com o desenvolvedor final em vez de conosco.

Que vantagens têm

O outsourcing nos permite, como dissemos, oferecer uma gama maior de serviços e aumentar nossa carteira de clientes e a carga de trabalho. Essas seriam as maiores vantagens, entretanto, poderia assinalar outras:

  • Dar uma imagem de empresa com mais recursos
  • Participar em projetos dos que podemos aprender
  • Chegar a clientes aos que de outro modo não poderíamos satisfazer
  • Oferecer um serviço global a um cliente, para que não tenha que ir a outro provedor para satisfazer suas necessidades
  • Beneficiarmos da experiência de outros profissionais sem tê-los em planilha
  • Obter melhores tarifas se sub-contratamos em outros mercados ou países determinados produtos ou serviços.
Desvantagens

As maiores desvantagens poderiam ser uma perda parcial do controle de um projeto e a confusão do cliente sobre quem está realizando realmente o trabalho. Porém, poderia assinalar outras desvantagens:

  • Incremento do preço, visto que devemos cobrar nossa intermediação
  • Cobrar menos por um desenvolvimento, visto que temos que pagar à empresa sub-contratada
  • Responder por um trabalho que não estamos desenvolvendo.
Conselhos

O mais importante é contar com uma boa de equipe de pessoas que sub-contratemos. Devemos conhecê-las bem, sobretudo suas capacidades e melhores especialidades. Há que ter em conta que estamos colocando nas mãos desses profissionais ou empresas a nossa imagem e a responsabilidade de chegar a um bom final.

Pode ser recomendável chegar a um acordo confidencial com os sub-contratados, chegando a assinar um contrato que certifique nossa relação se não temos uma total confiança neles. O acordo pode incluir também uma cláusula para que a equipa que sub-contratamos não realize trabalhos para nossos clientes, pelo menos durante um tempo prudente.

Há que ter em conta também que, embora outras pessoas sejam as encarregadas, devemos sempre estar por dentro de todos os passos dos projetos que estivermos realizando. Em qualquer momento pode surgir uma conversa com um cliente e será necessário sabermos o ponto exato onde se encontra o projeto.

Se nós estivermos nas mãos dos profissionais sub-contratados, da mesma forma, eles estão nas nossas mãos na hora de chegar a um acordo comercial benéfico com o cliente e realizar todas as gestões necessárias para cobrar em seu momento. Se um cliente falhar em um pagamento será delicado para nós o trato com as pessoas que o realizaram e poderíamos inclusive ter que afrontar seu pagamento com dinheiro do nosso bolso. Mesmo assim, como fomos os encarregados de formalizar um acordo com o cliente quanto ao alcance do projeto e o modo de realização, este acordo deverá ser muito claro. Se o cliente nos pede mudanças no desenvolvimento ou aumentar a carga de trabalho, devemos ter bem amarrado o orçamento, para chegar a um novo acordo econômico que satisfaça a todos.

Em determinadas ocasiões é importante saber sub-contratar parte de um desenvolvimento. Por exemplo, se não temos muitas facilidades para o design, podemos contar com um criativo que nos ajude. Se não temos conhecimentos de programação, seria bom encarregar certas partes do projeto a um programador especializado.

Conclusão

A sub-contratação de serviços é uma prática comum em muitas empresas e com elas consegue-se muitos benefícios. É habitual que a maior parte de trabalho que os profissionais freelance recebam sejam projetos que lhes sub-contratam.

O problema pode vir quando a cadeia de intermediários entre o cliente final e o desenvolvedor é muito longa, visto que à medida que se prolonga, não compensa mais o preço final do projeto e o que realmente cobra o desenvolvedor. Em algumas ocasiões realizei trabalhos que haviam sido sub-contratados três ou quatro vezes até que eu os desenvolvesse.

Em qualquer caso, desde o ponto de vista da empresa ou do profissional que sub-contrata, muitas vezes convém deixar de ganhar algo de dinheiro por liberar nossa carga de trabalho e chegar a más clientes e projetos mais interessantes, que possam nos trazer maiores entradas.






Usuários :    login / registro

Manuais relacionados
Categorias relacionadas
O autor

Home | Sobre nós | Copyright | Anuncie | Entrar em contato