Os dois clientes do webdesigner

Os alcances e expectativas de um projeto web costumam se basear exclusivamente na ótica do Cliente. Os objetivos do cliente não nos eximem do nosso compromisso com o sucesso do site, e isto não será possível sem ter o usuário em conta.

Por Manuel Alamar


Publicado em: 13/12/06
Valorize este artigo:
O Cliente sempre tem a razão, mas ... Qual deles?

É fato que, salvo raras exceções, nós, webdesigners, não trabalhamos para nós mesmos e sim para terceiros. Espera-se que desenhemos e desenvolvamos um produto que satisfaça uma série de requisitos empresariais que deveriam estar taxativamente especificados em um documento de trabalho discutido e aprovado por ambas partes e muitas vezes refletido em algum tipo de contrato formal.
Todos sabemos que são muito freqüentes as ocasiões em que essa definição de objetivos é mais informal, o que inevitavelmente trará problemas na hora de dar por terminado um projeto. A conseqüência da pobre especificação de objetivos costuma ser uma série interminável de modificações, de tempos e contratempos que excedem catastroficamente os prazos de entrega sem que o orçamento combinado no início se modifique.
Portanto, como primeira recomendação documentar explicitamente os objetivos e alcances do projeto, mesmo que seja em uma simples lista concedida e assinada.

Poderíamos supor que elaborar essa lista de objetivos é um trabalho moderadamente fácil. Bastará perguntar ao Cliente o que deseja e verificar que tudo o que pede pode ser realizado com o orçamento atribuído. Mas infelizmente, isso não é tão simples assim.

Uma parte importante de nossa participação é a de, dentro de certos limites, garantir o êxito do projeto e isto nem sempre é possível acatando unicamente os requerimentos do Cliente.
É indispensável ter em conta o segundo cliente: o público.

Mesmo que o cliente possa solicitar uma mudança de desenho em seu site para conseguir maior espaço para publicidade (e assim aumentar os ingressos da empresa), este requisito pode afetar negativamente aos usuários que tratam de localizar determinado artigo ou informação oculta entre um emaranhado de anúncios. Embora a mudança de desenho possa conseguir os objetivos empresariais, os usuários do site o considerarão um fracasso.
Obviamente, se os usuários deixam de visitar o site, mais cedo ou mais tarde a pauta publicitária também cairá e o fracasso será completo.

Deve ser nossa responsabilidade como designers colocar estes pontos claramente antes de formular a lista de objetivos. Quando as necessidades empresariais e as dos usuários são antagônicas teremos que manter um delicado equilíbrio entre os dois pontos de vista, embora termine prevalecendo o do cliente.

Para manejar melhor estas duas forças em questão deveríamos analisar e conhecer um pouco melhor a cada uma:

Os objetivos do cliente

É muito habitual que os clientes não pertençam ao nosso próprio setor.
Por mais que provenham do setor de serviços, industrial ou que se trate de um profissional independente que deseja estabelecer sua presença em linha, não costumam ter experiência com o webdesign. Acima de tudo, por isso recorrem ao nosso serviço.
E esse desconhecimento é mútuo, pois também não sabemos nada das indústrias de nossos clientes assim como eles tampouco de nosso trabalho. Por isso é importante que ambas partes se conheçam.
Ao reunir os objetivos do projeto convém saber o máximo possível sobre o cliente e sobre o contexto em que se desenvolve sua atividade. Nenhuma pergunta é básica demais. Necessitamos de informação sobre as vendas, suas estratégias de mercado e seus competidores.
Ao recopilar esta informação devemos explicar nosso trabalho da forma mais clara possível. Teremos que mostrar ao cliente o aspecto que terá o projeto, do início ao fim. Desta forma conseguiremos desmistificar para o cliente o ciclo de vida do projeto e contribuiremos a que compreenda a seqüência de eventos que permitem conseguir o êxito do mesmo.

As necessidades do público

Talvez a principal razão pela qual não se tem em conta as necessidades dos usuários radica no complicado que parece ser averiguá-las.
Poderíamos nos perguntar como aumentar a usabilidade de um site se não conhecemos nenhum dos usuários. Pela natureza virtual do nosso meio, nossos usuários costumam ser invisíveis grupos de visitantes sem rostro.
Uma estratégia útil é a de criar "perfis de usuário" fictícios.
Os perfis de usuários são modelos que nos ajudam a compreender as necessidades, o comportamento e os objetivos dos usuários. O objetivo é humanizar o processo de desenho e assim melhorar a qualidade do site e a satisfação dos usuários.
Neste contexto resulta especialmente importante levar em conta aqueles grupos de usuários que possuem algum grau de deficiência transitória ou crônica e tê-los em conta na hora de planejar um desenho do site garantindo sua acessibilidade desde uma ampla gama de dispositivos não convencionais.
Existem diversas formas ou fontes de dados para a construção de perfis.
A primeira opção (e a mais simples) é recorrer à análise dos registros de servidor do site. Esta fonte gera importantes dados demográficos e técnicos que lhe permitirão saber que tipo de navegadores o público utiliza e desde qual sistema operacional. Como cada navegador sofre seus próprios problemas de CSS e representação, essa informação resultará chave. Também se poderia obter valiosa informação geográfica ao saber de que parte do mundo provém os visitantes, permitindo pensar o site em termos de idiomas e culturas.
Uma segunda opção consiste em apelar ao cliente que nos contrata para que nos descreva em seus termos o tipo de público a quem apontam seus produtos ou serviços.
Por último, a opção mais complexa, porém mais direta é ter contato com usuários potenciais reais. Manter conversas com pessoas reais permitirá "condensa-las" em perfis fictícios que os representem em hábitos, histórias e necessidades.

Se compreendermos nossos dois clientes, poderemos então começar a avaliar o segundo aspecto chave do site: os conteúdos e como os usuários devem utiliza-los.





Comentários do artigo
Foi enviado 1 comentário ao artigo
1 comentário não revisado
0 comentários revisados

Usuários :    login / registro

Manuais relacionados
Categorias relacionadas
O autor

Home | Sobre nós | Copyright | Anuncie | Entrar em contato