O que são os vírus informáticos?

Tudo o que se necessita saber sobre os vírus e troianos que podem afetar nosso PC.

Por Yareli Galindo Dominguez


Publicado em: 16/1/07
Valorize este artigo:
O que são os vírus informáticos?

Um vírus informático é um programa que pode infectar a outros programas, modificando-os de tal maneira que causem dano no ato (apagar ou danificar arquivos) ou afetar seu rendimento ou segurança.
Este software constitui uma ameaça muito séria; propaga-se mais rápido do que se demora para solucionar. Portanto, é necessário que os usuários se mantenham informados sobre os vírus, fugindo da ignorância que lhes permitiram crescer até chegar a ser um grave problema.

O que é um cavalo de Tróia?

Um cavalo de Tróia é um programa que faz algo oculto e que o usuário não tenha aprovado, como abrir uma conexão para que alguém externo tenha acesso a nossa informação. Finalmente, muita gente usa o termo "Troiano" para se referir somente a um programa malicioso que não se copia a si mesmo, diferentemente dos chamados "worms" (vermes) que estes sim se copiam e se propagam rapidamente.

Quais são os principais tipos de vírus para o PC?

A primeira classe inclui os que infectam arquivos, anexos a programas ordinários, embora alguns possam infectar qualquer arquivo. Um vírus de ação direta seleciona um ou vários programas para infectar cada vez que o programa for executado. Um residente se esconde em alguma parte da memória a primeira vez que um programa infectado se executa, e depois infecta a outros programas quando são executados.

A segunda categoria é a dos que infectam arquivos de sistema ou setor de boot (ou arranque). Estes vírus, infectam a área de sistema em um disco. Há alguns que se executam ao iniciar o Windows, e vírus que infectam diretamente ao setor de boot de discos rígidos, podendo inclusive danifica-los permanentemente. Há outros vírus que modificam as entradas à tabela de arquivos para que o vírus se execute. Há que ter em conta que estes podem causar perda de informação (arquivos).

Como se transmitem os vírus?

A forma mais comum em que se transmitem os vírus é por transferência de arquivos, downloads ou execução de arquivos anexos em e-mails. Você também pode encontrar com um vírus simplesmente visitando certos tipos de páginas web que utilizam um componente chamado ActiveX ou Java Applet. Além disso, você pode ser infectado por um vírus simplesmente lendo um e-mail dentro de certos tipos de programas de e-mail como Outlook ou Outlook Express.

O que fazem os vírus?

Quando um vírus realiza a ação para a qual foi criado, diz-se que se executa o carregamento, podem ser bastante maliciosos e tentam produzir um dano irreparável ao computador pessoal destruindo arquivos, deslocando/sobrescrevendo e setor de boot principal, apagando os conteúdos do disco rígido ou inclusive escrevendo sobre a BIOS, deixando a máquina inutilizável. A maioria dos vírus não apaga todos os arquivos do disco rígido. A razão disso é que uma vez que o disco rígido se apaga, se eliminará o vírus, terminando assim o problema.

Por que as pessoas criam vírus?

Alguns vírus se criam pelo desafio que implica criar uma ameaça que seja única, não detectável, ou simplesmente devastadora para sua vítima. O criador espera que o vírus se propague de tal maneira que lhe torne famoso. A notoriedade aumenta quando o vírus é considerado tal ameaça que os fabricantes de anti-vírus têm que desenhar uma solução.

Como saber se tenho um vírus?

Muitos vírus se anunciam eles mesmo produzindo um som ou mostrando uma mensagem, porém também é comum que um vírus não mostre sinais de sua presença em absoluto. Os vírus se comportam de diferentes formas e não existe um sinal indicador absoluto que lhe avise de sua presença, um anti-vírus atualizado é o único que pode nos indicar se temos uma infecção.

Como podo evitar ser infectado por um vírus?

A melhor ferramenta para combater um vírus é saber como agem, infectam e se propagam. Não obstante, lhe recomendamos o seguinte:

  1. O correio eletrônico é o meio de transmissão preferido pelos vírus, portanto há que ter especial cuidado em sua utilização. Qualquer correio recebido pode conter vírus embora não lhe acompanhe o símbolo de dados anexos (o típico "clip"). Além disso, não é necessário executar o arquivo em anexo de uma mensagem de correio para ser infectado. Por exemplo, em versões antigas e não atualizadas do MS Internet Explorer basta unicamente abrir a mensagem, ou visualiza-la mediante a 'vista prévia'. Para prevenir isto, o melhor é verificar as mensagens não esperadas para ver se são reais antes de abri-las. Um indicativo de possível vírus é a existência no assunto da mensagem em um idioma diferente (geralmente inglês).
  2. Muitas páginas da Internet permitem o download de programas e arquivos aos computadores dos usuários. Existe a possibilidade de que estes arquivos estejam infectados com vírus.
  3. Como não existem indicadores claros que garantam sua confiabilidade, devemos evitar o download de programas grátis. Em geral, são sites seguros aqueles que mostram uma informação clara sobre sua atividade e seus produtos ou serviços que oferecem; também os patrocinados por organizações tais como editoriais, organizações oficiais, etc.
  4. Graças à Internet é possível intercambiar informação e conversar em tempo real sobre temas muito diversos mediante os chats. Um amplo número de vírus utiliza precisamente estes chats para se propagar. Isso é feito enviando arquivos anexos (geralmente com nomes muito proponentes). Em geral, se desconhecemos o usuário que nos envia o arquivo, devemos recusa-lo.
  5. Uma ótima forma de minimizar o impacto de um vírus, tanto a nível corporativo como particular, é respaldar corretamente com cópias de segurança (backup) de nossa informação.
  6. Realizar cópias periódicas e freqüentes de nossa informação mais importante é uma magnífica política de segurança. Desta maneira, uma perda de dados, causada por exemplo por um vírus, pode ser superada mediante a restauração da última cópia.
O que fazer se estiver infectado?

Sua ação principal deverá ser conter o vírus para que não se propague por qualquer lugar e assim poder erradica-lo. Se você trabalha em um ambiente de rede e tiver um administrador de sistema, diga-lhe o que aconteceu. É possível que a máquina tenha infectado a mais de uma máquina de seu grupo de trabalho ou organização. Se você trabalha em uma rede local, desconecte o cabo da rede imediatamente.

Uma vez que tiver contido o vírus, necessitará desinfetar seu sistema, e depois trabalhar cuidadosamente buscando qualquer propagação do mesmo em sua rede local ou a seus contatos. Desta forma pode se assegurar de que não voltará a infectar seu computador acidentalmente. Finalmente, pergunte a si mesmo quem usou o computador durante as últimas semanas. Se houver outros que tenham podido utilizar, podem ter transportado, sem se dar conta, a infecção ao seu computador e necessitarão ajuda. Pergunte se foi enviado algum arquivo, como e-mails com arquivos em anexo, ou se foi copiado algum arquivo de sua máquina a um servidor, página web ou site FTP recentemente. Se tiver sido assim, revise-os para ver se foram infectados, e se tiver sido, informe a outras pessoas que possam ter atualmente uma cópia do arquivo infectado em sua máquina.

O que é um boato?

Um boato é uma notícia ou uma informação falsa. Normalmente chega por correio eletrônico e tem uma mensagem com conteúdo falso: por exemplo que devemos apagar tal ou qual arquivo de nosso sistema porque se trata de um vírus. Os boatos servem-se da própria mentira para se propagar: recomendam que essa mensagem seja enviada a tantas pessoas quanto seja possível. Somente o administrador de sistema pode apagar arquivos de Windows ou do sistema.

Como funciona um anti-vírus?

A chave dos anti-vírus reside em uns arquivos de configuração onde se armazenam uma série de padrões que servem para identificar os vírus. O anti-vírus analisa cada um dos correios entrantes no sistema, arquivos, disquetes, etc e busca dentro deles esses padrões. Se o arquivo ou o correio sob análise tiver algum desses padrões, então se detectou o vírus. Dependendo da configuração do anti-vírus, este informará ao usuário ou simplesmente o apagará. Por esta razão é muito importante que os arquivos de dados do anti-vírus estejam permanentemente atualizados. Em geral, os anti-vírus modernos se atualizam automaticamente (conectando-se ao provedor) cada vez que se inicia uma conexão com Internet.





Comentários do artigo
Foram enviados 4 comentários ao artigo
3 comentários não revisados
1 comentário revisado:
Por: fabio paulo
15/3/07
estou a fazer um trabalho sobre virus,sobre as suas formas de propagação 5nomes deles e os seus perigos.neste site deram-me algumas dicas poucas mas boas.obrigado

Usuários :    login / registro

Manuais relacionados
Categorias relacionadas
O autor

Home | Sobre nós | Copyright | Anuncie | Entrar em contato