O design equilibrado. As proporções

Devemos ter em conta a definição a utilizar, os elementos gráficos e as proporções...

Por Luciano Moreno


Publicado em: 27/9/07
Valorize este artigo:
Na hora de começar uma composição, o primeiro que devemos saber é o tamanho que esta terá.

Se o suporte final de nosso grafismo vai ser o papel, poderemos desenhar para uma grande variedade de tamanhos, desde os menores (cartões de visita, pequenos folhetos) até os maiores (posters, cartazes para anúncios publicitários), embora quase sempre desenharemos am algum dos formatos DIN.

Medidas papel formato DIN
modelo tamanho relação
DIN A4 210*297 0.0625 m²(x/y=0.707)
DIN A3 420*297 0.125 m² (x/y=1.4142)
DIN A2 420*594 0.25 m² (x/y=0.707)
DIN A1 840*594 0.5 m² (x/y=1.4142)
DIN A0 840*1188 1.0 m² (x/y=0.707)


A relação visual entre os diferentes formatos DIN é a seguinte:



No caso de uma página web, os tamanhos possíveis são muito poucos, geralmente dois (800x600 e 1024x768 pixels), porém é de suma importância decidir para qual deles se vai trabalhar, já que, embora seja possível desenhar uma página para que seja compatível com ambas resoluções, somente em uma delas se visualizará tal como a desenhamos.



O segundo passo será escolher os elementos gráficos e textuais que usaremos na composição. Esta escolha se deve basear em variáveis como a pessoa ou empresa que deseja transmitir a mensagem, a própria mensagem, o tipo de espectadores destinatários da composição e as características funcionais e comunicativas de cada elemento.



Agora devemos definir que partes da área do desenho devem estar ocupadas por elementos e que partes vão ficar vazias, sem nenhum conteúdo. Se deixarmos muitos espaços vazios, a composição pode ser descordenada já que será difícil estabelecer relações globais entre os elementos ou entre os grupos deles. Porém, se o número de componentes for elevado, podemos obter uma obra sobrecarregada, difícil de entender, na qual não se distingue com clareza o que é cada coisa e qual é a mensagem que quer transmitir.

Começaremos a situar então os elementos em cena, como se fossem atores de nossa particular obra de teatro, combinando-os de diferentes formas até obtermos um resultado satisfatório. Neste ponto é muito importante ter em conta que cada elemento visual tem uma função determinada dentro da composição.

A informação visual que traz um elemento pode mudar segundo o façam as propriedades do mesmo, como seu tamanho, forma ou cor, porém, sobretudo sua proporção, o peso visual que tiver no total da composição.

Indubitavelmente, a forma mais direta de marcar proporções é mediante o tamanho relativo dos elementos. Os elementos maiores, altos ou longos têm uma carga visual superior aos menores, curtos ou finos, criando zonas de atração mais intensas.



Também podemos delimitar proporções em um grafismo mediante a cor, com a qual podemos definir diferentes áreas de tons úteis para distribuir de forma adequada toda a informação gráfica. Neste sentido, as cores puras e saturadas têm um maior peso visual que as secundárias neutras, e estas, maior que as terciárias pouco saturadas.



Outra técnica para definir proporções é o uso de agrupamentos de elementos e a correta distribuição destas no cenário, o que nos vai permitir estruturar de uma forma ou outra a composição.

Proporção por agrupamentos


Este sistema costuma dar bons resultados, sempre que não abusemos dele criando um excessivo número de blocos significativos, já que então se diminuiria importância uns a outros e se perderia a proporcionalidade buscada.

Mais regras práticas referentes à proporção são:

As formas regulares têm menor peso que as irregulares.



As formas alongadas e angulares alongam o campo de visão, criando zonas dominantes.



Sejam quais forem os elementos usados em uma composição deveremos sempre buscar umas proporções adequadas entre eles, com o objetivo de que cada um cumpra seu papel comunicativo de forma adequada.






Usuários :    login / registro

Manuais relacionados
Categorias relacionadas
O autor

Home | Sobre nós | Copyright | Anuncie | Entrar em contato