Google Sitemaps

Introdução aos Google Sitemaps, uma ferramenta com a qual pode ajudar a Google para saber que páginas têm seu website, de maneira que possa indexá-las mais facilmente.

Por Sara Alvarez Langa


Publicado em: 26/2/10
Valorize este artigo:
Google Sitemaps é uma ferramenta que Google põe à disposição dos webmasters registrados para uma melhor busca e posicionamento em seu buscador.

Ao criar um Sitemap, Google pode rastrear mais facilmente nossos conteúdos, ademais de proporcionar estatísticas de acesse e possíveis erros de rastreio do robô de indexação.

O Sitemap não é mais que um arquivo com uma listagem de nossas páginas e informação sobre seu conteúdo, atualizações, etc.

É importante saber que o arquivo pode ter vários formatos, embora o mais utilizado seja o .xml, já que nos proporciona informação adicional sobre as páginas. Podemos ademais criar o arquivo com os protocolos OAI-PMH, feeds RSS, feeds Atom ou como simples arquivos de texto.

Referência: Para os que desejarem, temos a sua disposição um Manual de XML e um Manual de RSS. Ambos dão muito boas introduções à linguagem ou formato, que seriam interessantes de ler.

Na página de sitemaps.org você pode encontrar toda a informação referente a protocolos, etc. Google cumpre com o protocolo de Sitemaps 0.9. É importante dizer que os Sitemaps que crie com Google Sitemaps são compatíveis com outros motores de busca que adotam os padrões de sitemaps.org.

Outra informação útil na hora de criar um Sitemap é que dentro dele pode ter uma lista com vários Sitemaps (ou seja, a rota para eles), a este tipo de arquivos o chamam índice de Sitemaps e não pode conter nunca mais de 50000 Sitemaps, ademais tem que estar em xml sempre.
Por outro lado, um arquivo Sitemaps normal não pode superar os 10 MB de tamanho e nunca superar as 50000 urls.

Para o correto funcionamento dos arquivos é importante utilizar sempre a mesma sintaxe, que veremos em futuros artigos, não incluir ID de sessão, URLs que vão a imagens, e sobretudo utilizar sempre um arquivo de texto em código ASCII, já que não admite caracteres especiais do tipo * {} e similares. Se o arquivo não cumpre com estas normas básicas nos dará erro ao subi-lo ao sistema de Google Sitemaps.

Se estiver pensando que pode ser realmente complicado criar este tipo de arquivos, não se preocupem porque atualmente existem bastantes ferramentas para sua criação e a maioria é grátis, pelo qual não será nada complicado fazê-los e subi-los a Google Sitemaps.

Com isto já temos uma primeira aproximação ao mundo de Google Sitemaps, nos próximos artigos veremos como podemos nos inscrever em Google para implementar esta ferramenta e seu funcionamento. Ademais, analisaremos as distintas ferramentas de criação de arquivos sitemap que consideramos interessantes.

Antes de passar aos temas seguintes, os deixamos a URL de Google desde onde pode acessar à informação para webmastres, e encontrar um link às Ferramentas para Webmasters, incluídos os sitemaps: http://www.google.com/webmasters/

Todas as novas informações sobre sitemaps iremos colocando no Manual de Sitemaps. Esperamos que seja interessante e sirva de utilidade para melhorar a indexação de suas páginas em buscadores.






Usuários :    login / registro

Manuais relacionados
Categorias relacionadas
O autor

Home | Sobre nós | Copyright | Anuncie | Entrar em contato