Digitalização de imagens. Programas de pintura ou retoque

Pequena descrição dos melhores programas de retoque e pintura existentes na atualidade no mercado e menção de suas ferramentas mais básicas.

Por Luciano Moreno


Publicado em: 31/10/08
Valorize este artigo:
Os programas de pintura ou retoque, também denominados Paint, trabalham normalmente com imagens de mapa de bits, permitindo a mudança de resolução das mesmas, seu redimensionamento, a aplicação de filtros e efeitos especiais, e os mais potentes, o trabalho com camadas e máscaras e a inclusão de textos e objetos vetoriais (embora uma vez definidos costumem convertê-los a mapa de bits).


Estão especialmente indicados para o trabalho com fotografias e capturas mediante scanner ou câmera digital, assim como para a criação direta de imagens de mapa de bits. Também permitem, em maior ou menor grau, a otimização de imagens para a web e a exportação a diferentes formatos de mapa de bits.

Entre os programas de retoque existentes no mercado podemos citar:

Adobe Photoshop:

Número um, tanto por seu amplo uso como por suas características técnicas, permite o uso de camadas, máscaras, transparências, contornos, efeitos especiais, filtros, etc. Seu principal inconveniente é o preço, bastante elevado.

Paint Shop Pro:

Uma boa alternativa da caixa Jasc Software, oferecendo funcionalidades avançadas, filtros e manejo de camadas a um preço muito mais acessível. Ideal para trabalhos rápidos.

Paint de Windows:

Vem instalado por padrão com os sistemas operacionais Windows, por isso sua principal vantagem é que não nos custará dinheiro. Resulta útil para gráficos simples, permitindo a inclusão de textos nos mesmos.

Picture Publisher:

Outra boa ferramenta para o designer, da casa Micrografx, com assistentes interativos e tutoriais on-line, exportação e importação de arquivos em diferentes formatos gráficos e diversos efeitos e macros.

Corel PhotoPaint:

Boa e econômica alternativa da casa Corel, que oferece as ferramentas habituais deste tipo de programas.

A interface gráfica é similar em todos eles, e está formada por uma superfície retangular, denominada tela, na que se trabalha com a imagem, uma barra superior de menus, parecida a da maioria das aplicações (menu Arquivo, menu Edição, menu Ferramentas, etc., e uma série de paletas de ferramentas, flutuantes ou situadas na lateral.


A paleta de ferramenta principal inclui geralmente:

  • Um pincel com formas variáveis, para pintar tanto linhas retas como traços manuais.
  • Ferramentas de desenho de formas básicas (elipses, retângulos, polígonos, estrelas, etc.), que se desenham clicando e arrastando o cursor.
  • Ferramentas de seleção, entre as que se incluem seleções retangulares e circulares, seleções manuais (laço) e a famosa varinha mágica, que seleciona zonas de cores similares com um grau de tolerância configurável.
  • Ferramentas de adição e modificação de texto.
  • Ferramentas de tratamento de cor, tanto para seleção das cores frontais e de fundo como um conta-gotas que permite selecionar a cor de uma zona já existente.
  • Os programas de retoque mais avançados dispõem de um conjunto de paletas de ferramentas adicionais, encarregadas do manejo de funcionalidades mais avançadas. Entre elas destacam as camadas, os canais e as máscaras.



As camadas são uma espécie de lâminas transparentes sobre as que se podem desenhar qualquer tipo de elementos, de tal forma que se podem colocar sucessivas camadas umas em cima das outras, visualizando-se as partes desenhadas de cada uma delas. É algo semelhante às folhas de acetato superpostas utilizadas na produção clássica de desenhos animados.

A paleta de controle das camadas mostra as camadas existentes, permite mudar sua ordem, adicionar ou eliminar camadas, atribuir o nome que se queira a cada camada, decidir se são ou não visíveis (símbolo do olho), imprimíveis, editáveis (símbolo do lápis ou pincel) ou transparentes (em um grau configurável).


Deve ficar claro que as camadas são uma forma interna de trabalhar do programa de retoque, já que ao exportar a imagem a um formato útil para o desenho, o resultado é uma imagem normal de mapa de bits, com todos seus elementos situados em uma só camada.

Os canais separam os diferentes valores cromáticos da imagem. Por exemplo, em modo CMYK há quatro canais, para as cores básicas ciano, magenta, amarelo e preto.


Cada canal pode ser modificado separadamente, se pode criar canais artificiais que preservem uma parte da imagem de qualquer modificação das cores, e se pode processar a cor por partes. Este procedimento é muito útil para colorir ilustrações de todo tipo.

As máscaras ou reservas realizam uma seleção de parte da imagem que faz com que só se possa modificar esta enquanto que o resto fica protegido.


Photoshop, por exemplo, tem uma excelente ferramenta para isso, chamada máscara rápida, que essencialmente converte ao momento o pincel ou qualquer outra ferramenta em um aplicador de máscara. Ao acabar, e passar ao modo normal, tudo o que tivermos selecionado ou pintado se converte em uma área selecionada. Este sistema permite efeitos especiais e retoques avançados.


Os programas de retoque são muito úteis, embora apresentem uma série de limitações nascidas de sua própria natureza de trabalho com mapas de bits. Em primeiro lugar, a resolução da imagem é fixa, por isso perde a qualidade ao modificá-la (mudando seu tamanho). Qualquer modificação que aplicarmos a uma zona da imagem pode afetar aos pixels vizinhos.






Usuários :    login / registro

Manuais relacionados
Categorias relacionadas
O autor

Home | Sobre nós | Copyright | Anuncie | Entrar em contato