Sitemaps de vídeos

Os sitemaps de vídeo ajudam o Google a indexar os vídeos das páginas web. Explicaremos este novo tipo de sitemap e os dados que podemos aportar ao Google para catalogar os vídeos.

Por Sara Alvarez Langa - Tradução de Celeste Veiga


Publicado em: 25/1/11
Valorize este artigo:
Há pouco tempo se tomou conhecimento de uma nova possibilidade para promover um pouco mais os vídeos publicados em nosso website. Trata-se de uma extensão do protocolo de sitemaps, com a que podemos relacionar o conteúdo de vídeo e seus metadados, para informar ao motor de busca de Google. Dito de outra maneira, podemos criar um sitemap de vídeo para nossa página web, onde acrescentaremos informação como o título, a descrição, a duração, etc.

Quando subamos o arquivo do sitemap de vídeo para o Google, este se encarregará de subir a URL para Google Videos. Não informam o tempo estimado desta operação, mas depois disso as buscas também apresentarão nossos vídeos e mostrarão uma imagem do mesmo (provida por nós ou criada automaticamente por Google) e informação relacionada.

Quando falamos de vídeo nos referimos a arquivos multimedia publicados em nosso domínio ou website e não a vídeos que tenham sido publicados em sites como YouTube. Atualmente Google pode rastrear os seguintes formatos de vídeo: .mpg, .mpeg, .mp4, .mov, .wmv, .asf, .avi, .ra, .ram, .rm, .flv. desde que não venham de um streaming.

Criação de um sitemap de vídeo

Agora que temos claro o que é um sitemap de vídeo, vamos ver como criar um.

Os sitemaps de vídeo seguem a estrutura dos sitemaps normais que vimos nomanual de sitemaps. Porém, devem ter como mínimo uma série de etiquetas específicas dos sitemaps de vídeo.

Além das etiquetas obrigatórias, Google permite utilizar mais algumas opcionais que ajudam à indexação de tais vídeos.

A seguir mostramos uma lista com as etiquetas que você pode utilizar em seu sitemap de vídeo:

Etiquetas obrigatórias

<loc>
A etiqueta especifica a página onde se encontra o vídeo.

<video:video>
A etiqueta onde se inserem todas as etiquetas especificas de vídeo.

<video:player_loc>
Pelo menos é obrigatória uma das seguintes etiquetas: <video:player_loc> ou <video:content_loc>. Uma URL que aponta para um reprodutor Flash de um vídeo específico. Esta informação se inclui no elemento "src" de uma etiqueta <embed> e não deve coincidir com a informação da etiqueta <loc>.
O atributo allow_embed que é obrigatório especifica se Google pode incorporar o vídeo nos resultados de busca. Os valores admitidos são "Yes" ou "No".
O atributo autoplay que é opcional e nos diz se habilita a reprodução automática.

<video:content_loc>
Deve ser um arquivo com formato .mpg, .mpeg, .mp4, .mov, .wmv, .asf, .avi, .ra, .ram, .rm, .flv e pode ser omitido se for especificado <video:player_loc>.

<video:thumbnail_loc>
Uma URL que aponta para a URL de um arquivo de imagem em miniatura do vídeo. As imagens em miniatura têm que ter um formato .jpg, .png ou .gif de 160x120 polegadas.

<video:title>
O título do vídeo. Com um limite máximo de 100 caracteres.

<video:description>
A descrição do vídeo. Não pode superar os 2.048 caracteres.

Etiquetas opcionais

<video:rating>
A pontuação do vídeo. O valor deve ser um número decimal compreendido entre 0,0 e 5,0.

<video:view_count>
O número de vezes que o vídeo foi. visto

<video:publication_date>
A data em que foi publicado por primeira vez o vídeo, expressa no seguinte formato: (AAAA-MM-DD)

<video:tag>
Uma etiqueta associada ao vídeo. Permite-se utilizar um máximo de 32 etiquetas.

<video:category>
A categoria a que pertence o vídeo. Não pode superar os 256 caracteres.

<video:family_friendly>
Para colocar o vídeo disponível unicamente para usuários com SafeSearch desativado.

<video:duration> > A duração do vídeo expressa em segundos. O valor deve estar compreendido entre 0 e 28.800 (8 horas).

<video:expiration_date>
A data a partir da qual o vídeo já não estará disponível. Com o mesmo formato que a etiqueta <video:publication_date>

Depois de ver as etiquetas, vamos realizar um exemplo simples do que seria o sitemap de vídeo.

<urlset xmlns="http://www.sitemaps.org/schemas/sitemap/0.9"
xmlns:video="http://www.google.com/schemas/sitemap-video/1.1">
<url>
<loc>http://www.minhapagina.com/videos/pagina_video.html</loc>
<video:video>
<video:content_loc>http://www.site.com/video-1.flv</video:content_loc>
<video:player_loc allow_embed="yes">http://www.site.com/videoplayer.swf?video=1</video:player_loc>
<video:thumbnail_loc>http://www.minhapagina.com/imagens-mini/1.jpg</video:thumbnail_loc>
<video:title>Prova de videos</video:title>
<video:description>Estamos vendo como construir um sitemap de video</video:description>
<video:publication_date>2007-11-05</video:publication_date>
<video:tag>sitemap</video:tag>
<video:tag>google</video:tag>
<video:category>Internet</video:category>
<video:duration>800</video:duration>
</video:video>
</url>
</urlset>

Só nos falta ter em conta que cada sitemap de vídeo não pode superar os 10 MB ou as 10000 URL de vídeos, e além disso, temos que considerar que um vídeo ou sua imagem miniatura não podem superar os 30 MB.

Com respeito à subida do arquivo, devo dizer que funciona exatamente igual ao resto de sitemaps. E você pode seguir as instruções dadas no artigo "Informar aos rastreadores da existência de nosso sitemap".





Comentários do artigo
Foram enviados 2 comentários ao artigo
1 comentário não revisado
1 comentário revisado:
Sitemaps de vídeos
Por: renatoreispp
10/1/14
Obrigado por postar este artigo, eu estava a procura a vários dias e não estava dando certo. Eu inseri no site http://www.ferax.com.br e funcionou perfeitamente.
Muito Obrigado mesmo

Usuários :    login / registro

Manuais relacionados
Categorias relacionadas
O autor

Home | Sobre nós | Copyright | Anuncie | Entrar em contato